FUNDADOR
Padre Julio Chevalier

 Um coração sem fronteiras


O ano de 2007 marcou o centésimo aniversário da morte do Padre Júlio Chevalier. Nasceu na França em 15 de março de 1824.
Desde pequeno foi consagrado a nossa Senhora e alimentava por ela grande devoção. Foi educado também na devoção ao Sagrado Coração que mais tarde viria a ser a razão de sua vida.
Já no seminário fez a experiência da ternura e bondade de um Deus que ama com um coração humano. Coração este, que se revela na figura de Jesus Bom Pastor.
No desejo de que todos conhecessem a grandeza desse amor, fundou as Congregações dos Missionários do Sagrado Coração e, 20 anos mais tarde, das Filhas de Nossa Senhora do Sagrado Coração, com a finalidade de anunciar as insondáveis riquezas do amor de Deus, reveladas em Cristo, e levar todos os homens ao Pai, por Cristo, dedicando-se a aliviar todas necessidades humanas, principalmente as dos mais pobres.
Temos um lema que resume a razão de nossa existência: “Amado Seja por toda parte o Sagrado Coração de Jesus”.


Oração para obter Graças através da intercessão do
Padre Júlio Chevalier:

Deus de infinito Amor e Misericórdia, nós te damos graças pelos dons concedidos a teu Servo, Padre Júlio Chevalier que, seguindo os passos do Bom Pastor, quis sanar os males do seu tempo tornando o Teu Coração mais conhecido e amado por todos, através do amor maternal de Nossa Senhora do Sagrado Coração.
Ó Deus Onipotente, nós Te pedimos que eleves à glória dos altares o teu Servo, Padre Júlio Chevalier e nos concedas, pela sua intercessão, a graça que te pedimos com fé e confiança por Cristo Nosso Senhor. Amém!
(fazer o pedido)
Rezar: Pai-Nosso, Ave Maria e um Glória ao Pai.
Invocar três vezes: Padre Júlio Chevalier, rogai por nós!
Nossa Senhora do Sagrado Coração, rogai por nós!

A pessoa que receber graças por intercessão do Padre Júlio Chevalier poderá comunicar-se no endereço abaixo:

Filhas de Nossa Senhora do Sagrado Coração
Caixa Postal: 24512
03365-970 – Vila Formosa – São Paulo – SP
Fone: (11) 2783-7769

Marie Louise Mestmann nasceu em 1837 em uma pequena cidade chamada Wissemburgo, no nordeste da França bem perto da fronteira com a Alemanha. Seu pai era holandês e médico. Sua mãe era francesa e seu avô materno era alemão. Sua família era rica e muito católica. Ela ia à missa diariamente. Seu pai faleceu quando Maria Luíza tinha 17 anos. Ela buscou e encontrou em Maria, “conforto dos aflitos” a consolação de que necessitava.

Quando completou 21 anos em 1858, Maria Luísa casou-se com Victor Hartzer que era um diretor de prisões. Eles tiveram 2 filhos. Depois de 11 anos de casados, Victor caiu doente e ela cuidou dele com muita dedicação por vários anos até que o mesmo falesceu.

Mudou-se para Stranbourg e continuou se dedicando à educação de seus filhos enquanto cuidava de sua mãe enferma.
Maria Luíza passou momentos de muito sofrimento, porém buscava força na oração porque tinha muita fé em Deus.

1ª MADRE GERAL
Madre Maria Luíza Hartzer

Em 1870 a Alemanha e a França entraram em guerra trazendo-lhe muitas dificuldades pois, o lugar onde morava era terrivelmente atingido pela guerra. Foi durante este tempo que seus 2 filhos decidiram ser padres Missionários do Sagrado Coração. Como Maria Luíza era assinante da revista Anais, foi através dela que eles conheceram os Missionários do Sagrado Coração.
Em 1874, também através dos Anais, Maria Luíza veio a saber sobre a nova Congregação fundada pelo Padre Júlio Chevalier – Congregação das Filhas de Nossa Senhora do Sagrado Coração de Issoundun.
Ela visitou Issoundun pela 1ª vez em 1876 e retornou 5 anos depois decidida a centrar-se nessa congregação. Mas, voltou muito decepcionada, pois a Congregação que antes florescia exuberante, agora estava à beira do colapso. Então começou a questionar se era isso mesmo o que devia decidir. Por sua vez, Padre Júlio Chevalier a encorajou a rezar a Deus, na intenção de que Ele a iluminasse em sua decisão. Ela permaneceu em Issoundun e, após 6 meses, fez o pedido para ingressar na Congregação.
 Dia 25 de março, 13 anos após a morte de seu esposo, ela realizou seu sonho de ser um membro dessa família religiosa. Há pouco menos de 9 anos após seu ingresso, precisamente a 8 de dezembro de 1882, apesar dela haver recusado, o Padre Júlio Chevalier a apresentou ao grupo como Superiora e Mestra de Noviças.

No dia 9 de setembro de 1884, Maria Luíza fez seus primeiros votos juntamente com outras quatro irmãs. Pelo ano de 1888 ela já havia assumido plena responsabilidade pela formação das noviças e tomava decisões importantes para a vida da nova Congregação das Filhas de Nossa Senhora do Sagrado Coração.

Voltar
voltar